a obesidade canina e seu tratamento

Por Luciana Arioli Maschietto*, colaboradora do Blog do Pata

a obesidade canina e seu tratamento

A obesidade é uma doença insidiosa e progressiva que está acometendo cada vez mais os animais de estimação. É a endocrinopatia mais freqüente atendida nos consultórios de endocrinologia . Cerca de 30 % dos animais que vem para consulta de rotina apresentam sobrepeso.

Como definição, para um cão ser considerado obeso, ele deve apresentar 25 % a mais de peso em relação ao seu peso ideal. O veterinário, através de alguns cálculos e medidas consegue fazer essa avaliação.

As rações mais palatáveis, abuso de petiscos, envelhecimento, sedentarismo, componentes genéticos  e a castração são os grandes responsáveis por essa doença. Outras patologias como, por exemplo, desequilíbrio de hormônios da tireóide,podem fazer o animal ganhar peso. Alguns medicamentos de uso crônico, por exemplo, a cortisona, também aumentam a chance do animal engordar.

A elevação do peso corporal predispõe os animais ao desenvolvimento de problemas mecânicos como: dificuldade respiratória, letargia, traumas articulares, calos de apoio, problemas de coluna e problemas metabólicos como: diabetes mellitus, aumento da gordura do sangue, tumores, dermatites, acumulo de gordura no fígado.
Após o diagnóstico da doença, alguns exames de sangue e imagem direcionam melhor o tratamento. O proprietário do animal tem um papel fundamental e decisivo no sucesso disso.

De acordo com os exames, é escolhida a melhor dieta para o animal, quer seja caseira ou ração. Então é feito um cálculo da quantidade que o animal poderá comer por dia e divide-se a quantidade em varias porções ao longo do dia. A prática de atividade física também é recomendada. Caso o animal apresente algum problema que impeça as atividades normais a esteira aquática é uma excelente opção, pois não haverá sobrecarga de nenhuma articulação ou da coluna.

Por fim, o retorno periódico é importante para avaliar a velocidade da perda de peso e o estado geral do animal. Quando o objetivo desejado é alcançado um novo cálculo de calorias é realizado para manter o animal no peso ideal.

*Dra Luciana Arioli Maschietto é médica veterinária especializada em endocrinologia e dermatologia, sócia-fundadora da ABEV (Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária). Atende na COBASI do Butantã, em São Paulo.

 

Seu cão já esteve ou está obeso? Como foi o tratamento? Comente!

Deixe seu comentário