cao gato juntos

São muitas as razões pelas quais acreditamos que cães e gatos são grandes rivais. Seja pelo instinto de caça, demarcação de território ou, simplesmente, diferenças nos seus estilos de vida, eles não costumam se dar bem mesmo – pelo menos em um primeiro momento. Com um pouco de paciência, os nossos melhores podem, também, ser melhores amigos uns dos outros.

 

Entenda a origem

Como qualquer predador, cachorros tendem a perseguir qualquer animal menor ou mais fracos que eles. Ou seja, pássaros e ratos são presas atraentes. O confronto com os gatos é mais comum apenas porque, no ambiente humano, eles se encontram com mais frequência. “Quando um cão chega perto de um gato, esse se arrepia e foge, dando o indício de uma caça”, conta o adestrador Marcos Almeida.

 

Preparação

Antes de colocar as duas espécies cara a cara (ou focinho a focinho), é preciso preparação. “Leve o cachorro para passear por no mínimo uma hora antes de apresentá-lo ao gato”, recomenda o adestrador. Cansado, diminui-se o risco de ataques. Quem tem cães bastante ativos precisa submetê-los a exercícios mais intensos.

 

Conhecendo o novo amigo

Independente de qual dos animais é o novato na casa, o processo de apresentação é o mesmo. Primeiramente, é preciso colocar o gato em uma caixa de transporte. Depois, leve-o para uma sala tranquila, sem muita gente. “Aproxime o cão, na guia, da caixa do gato. Dê petisco para ele à medida que os dois se aproximam”, indica Marcos. Mantenha os animais em uma distância na qual ambos fiquem confortáveis. “Repita esse exercício várias vezes ao dia, por algumas semanas.”

 

Outro animal, outro ritual

É bom lembrar que quando um cão ou gato está habituado a um animal da outra espécie isso não significa, necessariamente, que ele esteja pronto para lidar com todos os animais daquela espécie. Então, se você já convive com cães e gatos e deseja adicionar outro membro à família, o processo de adaptação precisa ser refeito. “A busca de um profissional em adestramento pode economizar muito tempo”, conta.

 

Prepare-se para o pior

Você deixou seu cão cansado, seu gato na caixinha e teve toda a paciência do mundo, mas acidentes podem acontecer. Caso seus pets entrem em uma briga, nunca a separe com as mãos. Isso assusta ainda mais o gato, que pode cravar as unhas na sua pele, e o cachorro, tentando abocanhar o gato, pode acabar mordendo sua mão. O ideal é jogar um balde de água fria: além de parar a disputa na hora, o choque é tão grande que pode evitar futuras brigas.

Não deixe de comentar abaixo!

Deixe seu comentário