convivencia-entre-caes-e-gatos-5-dicas-para-viver-em-harmonia.jpeg

Com a crescente oferta de animais para serem adotados e o amor das pessoas pelos bichinhos, faz com que ter apenas um, não seja o suficiente. Além disso, as famílias pequenas, com uma ou duas crianças abre espaço para a maior presença dos animais.

No entanto, é importante estar bem informado e atento sobre os cuidados necessários para conviver em harmonia com os animais de estimação, principalmente quando são de espécies diferentes.

Os cães e gatos são excelentes companheiros, porém possuem características e comportamentos distintos. Neste artigo, você lerá 5 dicas sobre como manter uma boa convivência entre cães e gatos. Confira!

1. Apresentação dos animais ainda filhotes

Quanto mais cedo os animais conhecerem um ao outro, melhor a convivência e o respeito entre eles. Um ou outro sendo filhotes – ou os dois – certamente favorece que eles se adaptem ao ambiente, as pessoas e à eles mesmos.

O cão tem o instinto de reconhecer e marcar território. Um animal novo deve ser aproximado com calma, aos poucos, para que ele aceite e entenda que este não é seu inimigo.

Num primeiro momento, eles irão se cheirar e reconhecer o ambiente. Caso o cão apresente um comportamento agressivo, afaste-os e tente novamente outro dia. É um processo que deve ser feito com muita paciência.

Nos primeiros dias do filhote na casa, procure respeitar o espaço de cada um. O cão considera muito seu alimento, então deixe o cantinho de comida e necessidades fisiológicas reservado para ele. Já o gatinho, precisa da sua caixa de areia no seu espaço.

Aos poucos, quando eles já estiverem entrosados, podem ter mais liberdade para estarem no mesmo espaço. Enquanto estiverem nesse processo de adaptação e aproximação um do outro é importante a presença de um adulto para que não haja qualquer desentendimento entre eles.

2. Atenção e amor na mesma medida aos dois animais

Procure dar a mesma atenção e carinho aos dois. Assim como, a chegada de um irmãozinho mais novo pode causar ciúmes no mais velho, com os bichinhos não é muito diferente. Se o gato é o filhote recém-chegado, o cão mais velho deve receber os mesmos mimos. Só assim ele entenderá que não está perdendo o amor de seus donos com a chegada do novo bichinho.

Também podem ser dadas recompensar em forma de petiscos, uma comida predileta ou até novos brinquedos quando o animal estiver bem comportado ao lado do amigo de quatro patas.

3. Castração para reduzir a agressividade

A castração é uma excelente forma de deixar os animais mais calmos, principalmente no caso de cães machos. Essa técnica reduzirá a agressividade e a agitação, deixando o animal mais receptivo aos outros bichos, inclusive ao gatinho.

Os gatos tendem a ficarem mais caseiros e recolhidos, o que, para aqueles que vivem em apartamento é uma ótima ideia. Eles podem ser cadastrados a partir dos 6 meses. Já os cães, depois de 1 ano ou depois do primeiro cio da fêmea.

A castração também favorece o adestramento e educação do animal canino em casa, como fazer xixi no lugar correto, evitando que os machos fiquem extremamente agitados na rua.

4. Passeios rotineiros

Para o cão passear significa gasto de energia e atenção do dono. A maioria deles adora quando veem qualquer sinal de que vão na rua. Com uma boa frequência de passeios, não só reduz a agitação,como dá atenção que eles precisam.

Se seu bichinho fica muito sozinho em casa, os passeios dão um ar de liberdade e os deixam muito felizes. A probabilidade de eles aceitarem um novo gatinho na casa é muito maior.

5. Dicas de outros donos

Para uma pessoa que sempre conviveu com cachorros em casa, ter gatos pode ser uma experiência nova e diferente. Antes de adquirir o novo bichinho, procure conversar com amigos e vizinhos que possuem gatos, e até aqueles que possuem os dois animais.

Gostou das dicas? Não deixe de visitar no nosso blog e conferir nosso post sobre 5 doenças de cães e gatos que são comuns entre eles!

Deixe seu comentário