3-razoes-para-ter-um-controle-preciso-da-vacinacao-de-seu-cachorro.jpeg

Como todos sabemos, muito melhor do que tratar uma doença é prevenir para que ela nem apareça. Por isso, a vacinação de cachorro é importantíssima! As vacinas são aliadas na tarefa de manter o seu amiguinho saudável e impedir que ele desenvolva uma série de doenças que podem, inclusive, representar um risco à vida do animal.

Você não quer ver seu cãozinho doente, não é mesmo? Então, pensando nisso, preparamos um artigo explicando um pouco sobre a importância de vacinar o seu cachorro. Acompanhe o nosso post e entenda um pouco mais sobre o assunto!

A ação das vacinas no organismo

Sempre que o organismo é infectado por algum vírus ou bactéria, o sistema imunológico ativa, automaticamente, mecanismos de defesa. Entretanto, nem sempre ele é bem-sucedido e o corpo acaba adoecendo.

As vacinas utilizam o próprio agente infeccioso que causa a doença como uma arma para combatê-la. Então, quando o nosso cãozinho é vacinado, ele é exposto a uma pequena quantidade do vírus ou bactéria com o objetivo de apresentá-lo ao agressor.

Com isso, o sistema imunológico do animal é estimulado a produzir anticorpos específicos para responderem a um eventual ataque. Basicamente, as vacinas ensinam o organismo a ativar suas defesas por meio da memória: ele se lembra do contato prévio com o agente agressor e inicia seu processo de defesa.

A importância da vacinação de cachorro

A vacinação de cães é importante porque é a melhor forma de protegê-los contra doenças virais, bactérias e micro-organismos nocivos. Quando os filhotes vêm ao mundo, eles ainda não têm o sistema imunológico bem desenvolvido, então não são capazes de lutar contra as doenças de forma eficaz.

Até então, sua resposta a agentes agressores depende dos anticorpos adquiridos na amamentação, pelo leite da mãe, mas esses anticorpos não são capazes de proteger o cãozinho contra muitas doenças.

As doenças virais, como a Cinomose e Parvovirose, são as que mais matam filhotes, mas afetam animais em qualquer idade. Além disso, há doenças que podem ser transmitidas, inclusive, para os seres humanos, por exemplo, a Raiva e Leptospirose.

O cronograma de vacinação

A vacinação de cachorro deve ser feita em qualquer idade, mas o início do ciclo de prevenção deve ser iniciado a partir dos 45 dias de vida. Em animais adultos que não foram vacinados ou naqueles sem histórico, também devem ser administradas vacinas preventivas, conforme a orientação de um veterinário.

Veja abaixo como é feito o cronograma de vacinas:

Vacina polivalente

Deve ser ministrada aos 45 dias de vida, e protege contra as seguintes doenças virais:

  • Cinomose;
  • Parvovirose;
  • Adenovirose;
  • Coronavirose;
  • Hepatite;
  • Parainfluenza;
  • 4 tipos de leptospirose.

Para filhotes, a polivalente deve ser administrada em mais duas doses de reforço, cada uma após 21 dias da dose anterior. Depois desse ciclo, o animal deve receber doses anuais de reforço.

Vacina contra Raiva

A vacina contra Raiva deve ser dada assim que o animal completa 4 meses de vida, pois já está com o sistema imunológico mais desenvolvido. Após essa dose, deve-se fazer o reforço com uma dose por ano.

As vacinas acima são consideradas como obrigatórias a qualquer cãozinho, mas há outras que também são importantes, como a contra leishmaniose e giardíase, por exemplo.

3 motivos para controlar a vacinação do seu cãozinho

1. Deixa o animal protegido

A vacinação de cachorro é a melhor forma de deixar seu amiguinho protegido contra diversas doenças. Além disso, o procedimento contribui para o bem-estar do cachorro, que terá uma vida mais longa e com muito mais saúde.

2. Proporciona maior controle sobre períodos de imunização

A carteira de vacinação é a melhor forma de você não se descuidar da saúde do seu cachorro. Com ela, você não se esquece de quando devem ser dadas as doses de reforço e mantém o animal sempre protegido.

3. Reduz o índice de contaminação

Você contribui para a saúde de todos os animais. Quando se vacina um cãozinho, as chances de disseminação de doenças reduzem, contribuindo para a proteção geral da população de cães e de seres humanos, no caso de doenças zoonose.

Gostou do post de hoje? Então, siga-nos em nossas redes sociais (FacebookInstagramYouTubeTwitter LinkedIn), assim você fica por dentro de todas as nossas novidades!

Deixe seu comentário