Conheça raças de gatos que sofrem mutação genética

Gato da raça Sphynx

Gato da raça Sphynx

Se você tem um felino, sabe o quão fofos e bonitinhos eles podem ser — independentemente da raça, cor, tipo de pelagem e porte.

No entanto, tem se tornado cada vez mais comum a prática de realizar mutações genéticas no animal, de modo a torná-los ainda mais belos e, consequentemente, comerciais.

No post de hoje, vamos mostrar como esse tipo de atitude pode ser prejudicial para a saúde do animal e o porquê deve parar de acontecer em todas as raças de gatos. Confira:

Por que as mutações genéticas em gatos devem parar

Algumas raças de gatos costumam apresentar doenças ou problemas genéticos de maneira natural. É o caso, por exemplo, do gato Persa que tem grande predisposição a desenvolver a doença do rim policístico ou, como também é conhecida, polycystic kidney disease (PKD).

Já em alguns felinos da raça Scottish Fold é possível que as cartilagens e ossos se formem de maneira desproporcional. Enquanto que muitos da raça Angorá podem nascer surdos, ter ataxia e cardiomiopatia hipertrófica, que é quando o músculo cardíaco é bastante ampliado.

Os gatos brancos de olhos azuis também podem apresentar problemas genéticos curiosos:

  • normalmente são surdos;
  • podem não enxergar muito bem;
  • apresentam dificuldade para se reproduzir, pois não são muito férteis;
  • apresentam a saúde frágil.

Gatos malhados ou com a pelagem no tom conhecido como “carapaça de tartaruga” podem não apresentar interesse algum na fêmea e nascer estéreis.

Raças de gatos que mais sofrem mutações genéticas

Diferentemente da mutação genética que acontece de maneira natural e é comum a algumas raças, como mostramos no último tópico, um dos maiores problemas relacionados às mutações que são realizadas de maneira artificial é a quantidade de problemas de saúde que elas podem provocar no gato.

Shorty e Munchkin

Pode acontecer de gatos nascerem de maneira natural com as pernas curtas, pois eles apresentam um tipo de nanismo.

No entanto, as raças Shorty e Munchkin costumam passar por procedimentos artificiais para nascer com essa condição.

Essa intervenção genética, porém, pode provocar diversas deformidades ósseas no animal. É possível, por exemplo, que ele nasça com problemas de coluna, lordose e malformação espinhal. Além disso, não será capaz de saltar como outros felinos.

Scottish Fold e Sphynx

A criação de novas raças é algo que tem se tornado também relativamente “normal”. No entanto, o cruzamento entre algumas raças pode desencadear problemas sérios.

Nós já citamos neste post que o Scottish Fold pode ter alguns problemas de saúde genéticos. Porém, ele também tem sofrido modificações que resultaram em sua orelha “dobrada”. O gato da raça Sphynx também foi modificado ao longo dos anos e passou a não ter pelo algum.

A mutação genética de maneira artificial é uma prática que deve ser eliminada, pois, na maioria dos casos, visa apenas tornar a raça felina mais rentável e não se preocupa com as consequências que podem afetar a saúde e o bem-estar deles.

Tem amigos que também são amantes de felinos? Compartilhe este post em suas redes sociais e divida com eles essas informações!